Mais que cinema

5 detalhes que você talvez não saiba sobre os filmes do caso Von Richthofen

Amanhã, dia 28 de abril, às 19h iremos sediar uma Live em nosso perfil oficial do Instagram (@cinemarkoficial) junto com a Galeria Distribuidora (@galeriadistribuidora), trazendo o diretor Mauricio Eça, e os roteiristas Ilana Casoy e Raphael Montes, para comentarem sobre os filmes A Menina Que Matou Os Pais e O Menino que Matou Meus Pais.

Para você se preparar para essa Live, trouxemos 5 detalhes que você talvez não saiba sobre os filmes do caso Von Richthofen.

1 – Os filmes são baseado nos autos do processo

Os filmes são uma adaptação cinematográfica, baseados em uma história real, desenvolvida a partir das informações que constam nos autos do processo, em especial nos depoimentos dos envolvidos. Nenhum dos dois longas inocenta ou enaltece Suzane e/ou Daniel, assim como também não romantiza ou glamoriza os assassinatos cometidos.

2 – Dois filmes, dois relatos e a sua interpretação

São dois filmes de 80 minutos cada, com versões da história totalmente diferentes, que serão lançados no mesmo dia. A produção não defende nenhum dos lados da história e deixa ao público a interpretação dos fatos e das versões. “A Menina que Matou os Pais” conta a versão de Daniel Cravinhos, e “O Menino que Matou Meus Pais” conta a versão de Suzane Von Richthofen. Após assistir os dois longa, o espectador compreende todos os detalhes do caso e consegue tirar suas próprias conclusões.

3 – Suzane Von Richthofen e os irmãos Cravinhos não possuem nenhum envolvimento com o filme

Os filmes foram produzidos 100% com investimento privado, sem a utilização de verba pública. Suzane, os irmãos Cravinhos ou qualquer outra pessoa retratada nos filmes não receberão dinheiro da produção, direitos autorais ou terão qualquer tipo de participação no resultado do filme. Nem a produção, nem os atores tiveram qualquer contato com os criminosos.

4 – Um formato inédito no cinema

Essa pode não ser a primeira vez que um filme conta duas visões de um mesmo acontecimento, mas é a primeira em que decidem lançar as duas partes de uma única vez, no mesmo dia. Eu não sei vocês, mas eu já estou curioso para ter essa experiência inédita.

5 – Raphel Montes e Ilana Casoy, duas feras do suspense policial!

Os dois roteiristas do filme são muito conhecidos por quem acompanha a literatura nacional. Raphael Montes é autor de diversos livros de suspense muito elogiados pelos fãs do gênero, como “Suicidas” e “Dias Perfeitos”. Ilana Casoy também é outra figura famosa nesse cenário, ela é autora dos livros “Serial killers made in Brasil” e “Casos de família: 01. Arquivos Richthofen, 02. Arquivos Nardoni”, ambos publicados pela editora DarkSide Books.

A Menina que Matou os Pais e O Meninos que Matou Meus Pais estavam previstos para estrear no dia 04 de abril deste ano, mas devido aos desdobramentos decorrentes do novo coronavírus a produção está estudando uma nova data para o lançamento. Para mais novidades continuem acompanhando as redes sociais da Cinemark e da Galeria Distribuidora.

#EmCasa: Além de acompanhar a nossa Live de amanhã, às 19h no Instagram da Cinemark e da Galeria Distribuidora. Caso você esteja ansioso pelo filme e goste de entender mais sobre crimes reais, nossa dica é maratonar as séries American Crime Story e Anatomia do Crime, ambas disponíveis na Netflix. Além disso, aproveite também para conhecer e ler os livros dos autores Raphael Montes e Ilana Casoy.

Sabe o que combina com a Live? A nossa pipoca Cinemark! Clique aqui e garanta a sua pelo Ifood.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s